Quem é Mário Designer?



    Olá, se você veio até aqui certamente quer saber mais a respeito do meu trabalho, o que eu faço, o que fiz e o que pretendo fazer, geralmente nessa parte do site, há uma espécie de formulário coberto de informações técnicas de trabalhos e formações, onde trabalhou, onde estudou, etc. E eu até havia começado essa página desta maneira, mas não estava gostando, e estava ficando sem saco pra continuar, então resolvi fazer uma espécie de conversa, minha com você, caro visitante, a respeito da minha vida, do que fiz do que ando fazendo e do que pretendo fazer no futuro, vou ver se coloco uma lista no final caso você não goste da leitura, mas espero que goste, vamos lá...

    Eu estou me Graduando em Design pela Universidade Federal do Rio Grande, mas desde tênue idade sempre soube o que queria fazer da minha vida - ser um desenvolvedor de jogos - sem ter certeza de que parte da criação de jogos trabalharia, seja como ilustrador, ou como programador, me aventurei nessas áreas, e consegui pegar até fazer alguns trabalhos interessantes, seja programando no Construct 2, que me foi sugerido pelo Prof.Dr. Guilherme Santa Rosa, para produção do jogo Pequenos Herois, que viria a se tornar Esquadrão 192. A game Engine era simples, mas em meados de 2013, eu não tinha nenhum conhecimento de programação, usava o antigo RPG Maker Xp sabe lá Deus em que ano, inicio dos anos 2000 talvez, mas eu só editava, não criava. Mas antes de trabalhar como programador, bem antes de vir o Ran-gO, The Alien Friend, eu fiz o Zeta Discovery, porém não o programei em 2012, a programação base dele, já havia sido feita pelo mesmo professor que citei acima, esse jogo foi diferente, eu fiz todas as artes do mesmo, desde Nave até as estrelas, usando o 3Ds Studio Max, pude criar a nave e tirar imagens dela todos os ângulos, (sim aprendi a fazer desenho 3D também, mas hoje se for fazer algo preciso de uns 4 dias tirando as teias de aranha), essa foi minha primeira experiência como ilustrador? Bem... Eu não diria isso, quando era mais novo fazia HQs onde eu e meus amigos éramos super-heróis, os desenhos eram bem simples e não dava pra distinguir muito bem quem era menino ou menina, a não ser pelos cabelos e peitos, mas já era alguma coisa, depois disso, passou-se um grande hiato e em 2008 eu comecei a fazer umas artes em Pixel Art para o jogo Super Mario Kart, eu estava misturando com o F-Zero e ia fazer o Super Mario Jets, mas na época não existia ainda um editor que mudasse a trajetória das pistas, apenas o TrackDesigner e ficávamos presos a AI original do jogo, até que os japoneses (sempre eles) criaram o Makeus, e com ele foi possível editar as pistas o Jets andou um pouco, tive ajuda de Raul Henrique e Vagner Mesquita nessa época, eles me ajudam até hoje, o Vagner cedeu o Menu de escolha de personagens para SMK F1 Tracks que fiz recentemente, mas o Jets foi descontinuado, pela alta complexidade que a PixelArt exige, um dia, eu penso em voltar este projeto, mas este dia, não é hoje. Hoje minhas ilustrações sem resumem a cenários ou mesmo trabalhando na interface dos jogos, usando o CorelDraw e/ou Photoshop que eu sempre gostei de “fuçar” desde o meu primeiro computador em 2002, tanto que fiz curso de formação em Design Gráfico pelo Senac em 2008 e tentei por três anos entrar em Design na UFRN.

    Depois de participar de tantos projetos, que eu vi que o que eu gosto mesmo é de trabalhar na alma dos jogos, e me descobri como Game Designer, (embora ainda não me considere um) ainda estou estudando bastante para ser um bom game designer, mas é a área na qual que vou me especializar, embora isso não implique em dizer que irei abandonar a programação ou ilustração, ao contrário, isso me ajudará bastante na produção dos jogos, pois tenho uma visão mais global de como tudo funciona, e como posso fazer isso, notei que durante a criação de jogos, durante as reuniões com a equipe, muitas de minhas sugestões visando a parte lúdica dos jogos sérios (Educativos) foram acatadas, e deram seus resultados, e percebi que posso fazer isso funcionar, e fazer o chamado meio de campo entre programadores e ilustradores, meus GDDs (Game Design Document/Documento de Game Design/Documento do Projeto do Jogo) ainda são muito simples, e com poucos detalhes, mas estou lendo vários livros no tema, tais como Level Up de Scott Rogers, Regras do Jogo de Katie Salen e Eric Zimmerman, Theory of the Fun, The Art of Game Design, esses dois últimos em inglês, para me aprimorar mais nessa área e me tornar um bom Game Designer.

    Atualmente, estou trabalhando no jogo “A Lenda de Zeth”, que conta com ilustrações do meu amigo e colega de curso João Bosco de Macêdo Santos, e foi originalmente criado para a disciplina do IMD (Instituto Metrópole Digital-UFRN) chamada: Jogos Digitais como Ferramenta Pedagógica, porém, contendo outro nome: “The Man of The Ages”.

    Este jogo, é sério? Educativo? Pode-se dizer que sim, ele tem esse caráter educacional, mas é diferente da grande maioria dos jogos sérios, e eu sei, se você sabe do que eu estou falando já deve ter ouvido muito essa conversa de criadores de jogos sérios, “mas joga o meu, o meu é bom, o meu é divertido” O professor doutor Roger Tavares, (presidente da game cultura, e professor da UFRN) certa vez me disse que já perdeu as contas de quantas vezes ouviu essa conversa, Charles Andryê, do IMD, disse algo similar ao dizer que o criador do jogo dizia – Joga lá meu jogo, é legal. E eu chegava lá, jogava e via que não era. Ok, então eu estou dizendo de uma forma diferente que o meu jogo sério é legal? Para que vocês o joguem, e esse é meu melhor argumento? Não, o meu melhor argumento vem agora. Vou utilizar este jogo como Projeto no meu TCC2 e como Pesquisa no meu TCC1, e em ambos tentarei mostrar a importância da ludicidade nos jogos sérios, e como a diversão aumenta a imersão, o quanto o lúdico dá engajamento e ver ao final se eles aprenderam alguma coisa. Mas detalhes sobre o jogo estarão disponíveis na página do mesmo quando ele estiver pronto. Me intuito é de usar ele também com base para tentar entrar no curso de mestrado ou no IMD ou no DEART. E é isso, se você chegou até aqui, meu muito obrigado, e precisando é só entrar em contato,

    Abraços!

    Mário Filgueira

    -------------------------------------------
    Agora a listinha que eu prometi. Formação: Designer Gráfico pelo Senac/2008, Graduando em Design pela UFRN.

    Pela ordem cronológica Jogos nos quais trabalhei como:
    Modder: Super Mario Kart => SMK F1 Tracks
    Ilustrador: Zeta Discovery / BeamroboXBoomrobo
    Designer de Interface: Zeta Discovery / Soccer Duel Cards /
    Programador: Zeta Discovery / Pequenos Heróis => Esquadrão 192 / The Friend Alien / RangO / The Man of The Ages
    Game Designer: Zeta Discovery / The Friend Alien / The Man of The Ages => A Lenda de Zeth


    Jogos que estou trabalhando como:
    Modder:
    Ilustrador: Zeta Discovery /
    Designer de Interface: Zeta Discovery /
    Programador: Zeta Discovery / The Friend Alien /
    Game Designer: Zeta Discovery /The Friend Alien / RangO / A Lenda de Zeth


    Jogos que pretendo trabalhar como:
    Modder: Super Mario Kart (1992) => SMK F1 Jets
    Ilustrador: Zeta Discovery / SMK F1 Jets / The Friend Alien
    Designer de Interface: Zeta Discovery / SMK F1 Jets / The Friend Alien
    Programador: Zeta Discovery / The Friend Alien / A Lenda de Zeth
    Game Designer: Zeta Discovery / A Lenda de Zeth


    Nota Off 1: Também faço dublagens nos jogos nos quais trabalho e trabalharei.
    Nota Off 2: Também sou poeta e compositor, e gosto de brincar na bateria.